Rua José Belchior, 1009, Guajiru 85 981589488 labiataplantas@gmail.com Segunda à Sexta: 8h às 18h; Sábados: 9h às 15h.

Peperômia (clique pra comprar)

A peperômia é uma planta de folhagem pendente, como a samambaia. Ela não tem flor, e as folhas, redondinhas, são verdes. Quando a folhagem recebe também a cor branca, a planta é chamada de variegata. Bem fácil de cuidar, ela exige um pouco de atenção no verão, quando deve receber mais água. A peperômia pode durar mais de seis meses e chega a medir mais de um metro.

 

Peperômia (suculenta)

Planta + vaso de porcelana + decoração. De R$ 29,90 por R$ 21,90.

R$21,90

 


#labiata #Peperomia #suculenta #presentes #casa #jardim #escritorio

Flor de dragão (clique pra comprar)

Ou Orbea variegata, esta planta pequena e delicada cresce esparramando seus fios pelas bordas do vaso. Não requer muito sol e se adapta bem aos ambientes. Sua espécie tem desdobramentos identificáveis por semelhança. Umas florescem, outras não. De todo modo, uma compõe bem ambientes como sala de estar e pode ser facilmente um adorno para mesas e postos de trabalho.


#labiata #PlantasOrnamentais #FlorDragao #Presentes #casa #jardim #escritório

Rosa do Deserto / Pré-bonsai (clique pra comprar)

Beleza e exoticidade, palavras que dizem  bem porque a Rosa do Deserto se tornou uma espécie altamente valorizada no país atualmente. Natural do semi-árido da África e na Península Arábica, a planta se adaptou perfeitamente ao clima do nordeste brasileiro. […] Há alguns anos os profissionais de arquitetura e decoração descobriram o valor estético desta planta para a composição dos ambientes (casa, jardins e escritório). Por isso a planta está na moda e, juntamente com a Carnaúba, é considerada o xodó dos paisagistas de todo o Brasil.

Rosa do Deserto

Planta + vaso decorado; Tamanho: mini Preço: R$ 19,90

R$19,90


#labiata #PlantasOrnamentais #RicardoCunha #Presentes #RosaDoDeserto #casa #jardim #escritório

Lumina: exotismo valorizado nos jardins tropicais e contemporâneos

Chlorophytum-orchidastrumLumina é uma cultivar da espécie Chlorophytum orchidastrum. Esta espécie é relacionada botanicamente ao popular clorofito (C. comosum), sendo que ambas pertencem ao mesmo gênero. A lumina é uma planta herbácea que se destaca pelo colorido incomum da folhagem. Ela alcança cerca de 30 a 40 centímetros de altura, com largas folhas em roseta, que crescem de um rizoma carnoso. As folhas são o principal atrativo desta planta. Elas são largas e longas, com o limbo verde escuro e fosco e uma longa e grossa nervura central, de brilho translúcido e cor creme-alaranjada. A inflorescência, de importância ornamental secundária, apresenta haste avermelhada, com cerca de 50 cm, e pequenas flores brancas.

Planta tropical e atraente, sua exuberância pode ser apreciada em interiores bem iluminados, próximo às janelas, mas sem o sol direto, que poderia queimar suas preciosas folhas. Além dos vasos, a lumina também pode ser cultivada no jardim, isolada ou em pequenos grupos, em locais com luz filtrada, protegida pela sombra das árvores ou pelo sombrite. O exotismo desta planta é valorizado em jardins tropicais e contemporâneos.

Deve ser cultivada sob meia-sombra, em substrato drenável, enriquecido com matéria orgânica e mantido úmido. Rústica, a lumina não necessita de cuidados especiais. Ela aprecia o calor e a umidade tropicais e pode ser cultivada em estufas nos países de clima temperado. Não necessita podas, bastando remover as folhas mortas. Adubações orgânicas leves e replantio bienal na primavera são suficientes para o desenvolvimento de uma folhagem vibrante. Multiplica-se por divisão das touceiras e rizomas, por ocasião do replantio.

Planta: Lumina

Planta grande + vaso decorado.

R$19,90


Rosa do Deserto – Matéria no GR destaca valor estético e econômico

pequenos-produtores-cultivam-rosa-do-deserto-na-bahia-globo-rural-g1O programa Globo Rural de hoje (02/09/18) apresenta uma matéria sobre o cultivo de flores no geral e da Rosa do Deserto em particular. A matéria enfatiza o aspecto econômico das culturas para os pequenos produtores que, geralmente, são pessoas com baixa renda que aderiram aos programas de agricultura familiar.

De fato, a beleza e exoticidade da Rosa do Deserto a torna uma espécie única e, justamente por isso, altamente valorizada no país atualmente. Natural do semi-árido da África e na Península Arábica, a planta se adaptou perfeitamente ao clima do nordeste brasileiro.

Há alguns anos os profissionais de arquitetura e decoração descobriram o valor estético da planta para a composição dos ambientes (casa, jardim e escritório). Por isso a planta está na moda e, juntamente com a Carnaúba, é considerada o xodó dos paisagistas de todo o Brasil.

Rosa do Deserto

Muda (tamanho aproximado: 20cm).

R$15,00


Dracena Vermelha (Cordyline Terminalis)

cordyline_fruticosa__a_red_leafed_cultivar-600x351Planta arbustiva perene de folhagem ornamental. A altura que pode atingir é variável, de 1,50 a 2,80 metros, conforme a região e a fertilidade do solo. O caule é cilíndrico, de cor escura, com marcas de folhas anteriores. As folhas são grandes estreitas ou largas, verdes, verdes com listras vermelhas, cor de vinho, consistência coriácea. As de folhagem cor de vinho são bem brilhantes. As flores são pequenas, brancas ou na cor rosa, reunidas em inflorescência do tipo racemos mas não têm importância ornamental.
As flores são intensamente perfumadas, com odor de mel, principalmente à tarde.

Modo de cultivo :

Seu cultivo deve ser à sombra ou meia sombra, principalmente as de folhas cor de vinho, que apresentam queimaduras de cor marrom quando ficam ao sol. Na sombra adquirem cor intensa, sendo excelente adição em maciços verdes. O solo de cultivo deve ser fértil em material orgânico com muito boa drenagem. Se plantado em canteiro, abrir um buraco maior que o torrão, colocando no fundo mistura de adubo animal de curral bem curtido com composto orgânico.

Retirar a muda do saco de cultivo e acondicionar o torrão no buraco, preenchendo as laterais com a mesma mistura de substrato. Observar quando retirar o torrão do recipiente, se as raízes estiverem enroladas, procurar soltá-las do substrato para que maroon_and_green-300x225cresçam de forma adequada. Se a muda tiver porte grande, usar um tutor temporário de sarrafo ou bambu, amarrando a planta de leve no tutor, usando um cordão em formato de oito para não estrangular a planta.

Regar depois do plantio. Regar periodicamente sem encharcar o substrato. Este arbusto poderá ser cultivado em vasos, inclusive em interiores iluminados de luz natural ou por lâmpadas. Usar um vaso com altura superior a 0,60 metros, pois a cordiline tem a raiz principal longa. Proteger o interior do vaso com pixe deixando secar vários dias. Colocar no fundo britas e areia úmida ou então geomanta para diminuir o peso do vaso.

Fazer mistura de adubo animal curtido, de gado ou de aves com composto orgânico mais areia, na proporção de 1:4:1. Se o adubo for cama de galinheiro, usar metade da proporção. Colocar parte do substrato no fundo, acondicionar o torrão e preencher o restante com a mistura. Regar a seguir.

Propagação:

Pode ser feita por sementes, mas a mais usada ainda é a propagação por estaquia. Retirar o caule deixando uma parte para rebrote na touceira. Escolher um caule do meio ou do fundo da touceira, evitando deixar o visual feio. Limpar de folhas a base para poder enterrar. Colocar em areia úmida. Quando notar que começa a se desenvolver, plantar com substrato semelhante ao que recomendo para vasos ou no canteiro.

Paisagismo:

Cultivada em vasos, sozinha ou em conjunto com outras plantas, em grandes canteiros, junto a muros, é sempre uma boa opção para os jardins, pois não necessita de manutenção. Algumas dracenas também podem ser cultivadas em interiores, principalmente as de folhas verdes.

Dracena Vermelha

Planta grande + vaso de plástico + decoração.

R$14,00


#labiata #plantas #casa #jardim #presentes #dracenavermelha

%d blogueiros gostam disto: