Rua José Belchior, 1009, Guajiru 85 981589488 labiataplantas@gmail.com Segunda à Sexta: 8h às 18h; Sábados: 9h às 15h.

Educação Ambiental: ensine seu filho a cultivar!

O Dia da Criança está no ar! Aproveite a oportunidade para falar com seu filho sobre educação ambiental. Não apenas neste dia, mas também pelos próximos, você pode ajudar a despertar a consciência dos pequenos para a importância de plantar e cultivar o verde e, mais do que isto: preservar a natureza de um modo geral.

Conte conosco na aquisição de mudas para introduzir seu filho no universo do verde. Acesse nossa loja virtual, ou, se preferir, visite nossa loja física. Em caso dúvidas, PERGUNTE-NOS!

Educação-Ambiental2


#labiata #PlantasOrnamentais #RicardoCunha #DiaDasCrianças #Presentes #Promoção

Jasmim – Como cultivar?

Para ter um jasmim em casa primeiro você deverá escolher o tipo de planta que quer: uma trepadeira, um vaso de jasmim, uma árvore. Você poderá escolher entre as várias espécies do gênero Jasminum ou alguma das outras que, sem serem jasmins verdadeiros, são tão bonitas e cheirosas quanto estes.

Já falamos sobre os diversos tipos de jasmim que existem, os que se usam para chás, suas propriedades curativas e seu óleo aromático.Também já citamos que, aqui no Brasil, são chamados de jasmins plantas como as camélias, os jasmim-manga e as damas-da-noite.

setaJASMIN: TIPOS, USOS MEDICINAIS, COMO FAZER O CHÁ

O jasmim verdadeiro gosta de solos bem drenados, misturados com areia, onde não se acumula água. São plantas de pleno sol, que se estendem e enraízam facilmente – quando o ramo do jasmineiro toca o solo, começa a soltar raízes e forma outra planta (este processo se chama alporquia).

jasmin estrela

Jasmim-estrela

O jasmim verdadeiro é arbustivo, um arbusto escandente, como a primavera ou buganvília, que gosta de ter um lugar para se apoiar, precisa de ser apoiado com estacas ou sobre um muro. Também pode ser uma trepadeira, que se enrola nos suportes que encontrar pelo caminho, sejam esses galhos de outras plantas ou pergolas.

Os jasmim aceitam podas e esta é a forma mais adequada de controlar seu crescimento pois, sua tendência é ocupar todo o espaço ao sol que estiver disponível, por cima das outras plantas e árvores.

jasmim-dos-poetas

Jasmim-dos-Poetas

Como cultivar jasmin em vaso

Em vaso você poderá ter um jasmineiro também – arranje um vaso grande, de boca ampla, e plante uma muda do jasmim escolhido. No vaso, a planta não terá acesso à água de subsolo e, se estiver na varanda, também não será alcançada pelas chuvas então, você deverá manter seu jasmineiro sempre regado (2 a 3 regas por semana serão suficientes). Também será necessário você manter o vaso livre de outras ervas que poderão concorrer com os nutrientes de que a terra dispõe.

Semeando o jasmineiro

Caso você decida plantar seu jasmineiro semeando as sementes que comprou ou coletou, faça isso já no lugar definitivo, seja no vaso ou no jardim. As sementes do jasmim demoram cerca de 30 dias para germinarem e, até a germinação deverão contar com um substrato úmido, serem protegidas do sol intenso e das chuvas que podem lavar a terra. As mudas nascidas de sementes deverão ser cuidadas diariamente até que se fortaleçam.

O jasmineiro não gosta de ser transferido de lugar – esse movimento só é positivo quando a planta já está fortalecida mas, se você decidir fazê-lo, retire a muda da terra, com um torrão grande, cuidando de não machucar as raízes, e coloque-o em uma cova duas vezes maior que seu diâmetro, com terra adubada e drenagem garantida.

Outros jasmins

Como já dissemos em outro artigo, não é aconselhável que você tenha plantas de dama-da-noite perto da janela do seu quarto pois, seu odor intenso, apesar de muito gostoso quando diluído nos aromas de um jardim amplo, pode causar dores de cabeça e processos alérgicos em pessoas mais sensíveis.

Já o jasmim-do-cabo aceita bem ser cultivado em vasos, na varanda. Esta planta gosta de ambientes úmidos e ensolarados mas, não aceita a chuva intensa que despetala suas lindas flores brancas. Então, se tiver um jasmim-do-cabo, o vaso deste poderá ter rodinhas, e andar pela varanda fugindo de ventos e chuvas, à procura do sol. Veja o video abaixo:

Terra boa para jasmim

Todo jasmineiro gosta de terra bem adubada, com esterco ou composto bem curtido. Anualmente, é aconselhável que você faça a reposição dos nutrientes acrescentando torta de mamona, cinzas e húmus, que deverão ser enterrados em volta do pé da sua planta.

Jasmineiro no jardim

No jardim, um jasmineiro verdadeiro não te vai dar trabalho, fora a necessidade de podar seus avanços. A poda deve ser feita no final do inverno, que é quando a planta apresenta menos folhagem, galhos secos que deverão ser retirados, e época em que terá suas forças reprodutivas à espera de brotarem só no começo do verão. A floração dos jasmins acontece desde o começo do verão até quase o final do inverno, variando de acordo com as espécies.

O inverno brasileiro é bastante suportável para os jasmineiros que aguentam nossos frios amenos. Caso você more em um lugar onde os frios rondem os 0ºC, será adequado cobrir seu jasmineiro com tela ou sombrite, para diminuir os danos, ou então, se estiverem em vaso, levá-los para dentro de sua casa, até que as temperaturas atinjam, outra vez, os 10 ºC.


Fonte:

#labiata #plantasOrnamentais #comocuidar #ricardocunha #passoApasso

Irrigação#2: como montar seu próprio sistema

O sistema a seguir é ideal para ambientes domésticos e/ou para pequenos negócios, como é o caso da Labiata. Este sistema é fruto de um pensamento inovador que agora se tornou possível devido à acessibilidade dos componentes tecnológicos e, claro, do pensamento criativo e empreendedor.


 

Lumina: exotismo valorizado nos jardins tropicais e contemporâneos

Chlorophytum-orchidastrumLumina é uma cultivar da espécie Chlorophytum orchidastrum. Esta espécie é relacionada botanicamente ao popular clorofito (C. comosum), sendo que ambas pertencem ao mesmo gênero. A lumina é uma planta herbácea que se destaca pelo colorido incomum da folhagem. Ela alcança cerca de 30 a 40 centímetros de altura, com largas folhas em roseta, que crescem de um rizoma carnoso. As folhas são o principal atrativo desta planta. Elas são largas e longas, com o limbo verde escuro e fosco e uma longa e grossa nervura central, de brilho translúcido e cor creme-alaranjada. A inflorescência, de importância ornamental secundária, apresenta haste avermelhada, com cerca de 50 cm, e pequenas flores brancas.

Planta tropical e atraente, sua exuberância pode ser apreciada em interiores bem iluminados, próximo às janelas, mas sem o sol direto, que poderia queimar suas preciosas folhas. Além dos vasos, a lumina também pode ser cultivada no jardim, isolada ou em pequenos grupos, em locais com luz filtrada, protegida pela sombra das árvores ou pelo sombrite. O exotismo desta planta é valorizado em jardins tropicais e contemporâneos.

Deve ser cultivada sob meia-sombra, em substrato drenável, enriquecido com matéria orgânica e mantido úmido. Rústica, a lumina não necessita de cuidados especiais. Ela aprecia o calor e a umidade tropicais e pode ser cultivada em estufas nos países de clima temperado. Não necessita podas, bastando remover as folhas mortas. Adubações orgânicas leves e replantio bienal na primavera são suficientes para o desenvolvimento de uma folhagem vibrante. Multiplica-se por divisão das touceiras e rizomas, por ocasião do replantio.

Planta: Lumina

Planta grande + vaso decorado.

R$19,90


Rosa do Deserto – Matéria no GR destaca valor estético e econômico

pequenos-produtores-cultivam-rosa-do-deserto-na-bahia-globo-rural-g1O programa Globo Rural de hoje (02/09/18) apresenta uma matéria sobre o cultivo de flores no geral e da Rosa do Deserto em particular. A matéria enfatiza o aspecto econômico das culturas para os pequenos produtores que, geralmente, são pessoas com baixa renda que aderiram aos programas de agricultura familiar.

De fato, a beleza e exoticidade da Rosa do Deserto a torna uma espécie única e, justamente por isso, altamente valorizada no país atualmente. Natural do semi-árido da África e na Península Arábica, a planta se adaptou perfeitamente ao clima do nordeste brasileiro.

Há alguns anos os profissionais de arquitetura e decoração descobriram o valor estético da planta para a composição dos ambientes (casa, jardim e escritório). Por isso a planta está na moda e, juntamente com a Carnaúba, é considerada o xodó dos paisagistas de todo o Brasil.

Rosa do Deserto

Muda (tamanho aproximado: 20cm).

R$15,00


Dracena Vermelha (Cordyline Terminalis)

cordyline_fruticosa__a_red_leafed_cultivar-600x351Planta arbustiva perene de folhagem ornamental. A altura que pode atingir é variável, de 1,50 a 2,80 metros, conforme a região e a fertilidade do solo. O caule é cilíndrico, de cor escura, com marcas de folhas anteriores. As folhas são grandes estreitas ou largas, verdes, verdes com listras vermelhas, cor de vinho, consistência coriácea. As de folhagem cor de vinho são bem brilhantes. As flores são pequenas, brancas ou na cor rosa, reunidas em inflorescência do tipo racemos mas não têm importância ornamental.
As flores são intensamente perfumadas, com odor de mel, principalmente à tarde.

Modo de cultivo :

Seu cultivo deve ser à sombra ou meia sombra, principalmente as de folhas cor de vinho, que apresentam queimaduras de cor marrom quando ficam ao sol. Na sombra adquirem cor intensa, sendo excelente adição em maciços verdes. O solo de cultivo deve ser fértil em material orgânico com muito boa drenagem. Se plantado em canteiro, abrir um buraco maior que o torrão, colocando no fundo mistura de adubo animal de curral bem curtido com composto orgânico.

Retirar a muda do saco de cultivo e acondicionar o torrão no buraco, preenchendo as laterais com a mesma mistura de substrato. Observar quando retirar o torrão do recipiente, se as raízes estiverem enroladas, procurar soltá-las do substrato para que maroon_and_green-300x225cresçam de forma adequada. Se a muda tiver porte grande, usar um tutor temporário de sarrafo ou bambu, amarrando a planta de leve no tutor, usando um cordão em formato de oito para não estrangular a planta.

Regar depois do plantio. Regar periodicamente sem encharcar o substrato. Este arbusto poderá ser cultivado em vasos, inclusive em interiores iluminados de luz natural ou por lâmpadas. Usar um vaso com altura superior a 0,60 metros, pois a cordiline tem a raiz principal longa. Proteger o interior do vaso com pixe deixando secar vários dias. Colocar no fundo britas e areia úmida ou então geomanta para diminuir o peso do vaso.

Fazer mistura de adubo animal curtido, de gado ou de aves com composto orgânico mais areia, na proporção de 1:4:1. Se o adubo for cama de galinheiro, usar metade da proporção. Colocar parte do substrato no fundo, acondicionar o torrão e preencher o restante com a mistura. Regar a seguir.

Propagação:

Pode ser feita por sementes, mas a mais usada ainda é a propagação por estaquia. Retirar o caule deixando uma parte para rebrote na touceira. Escolher um caule do meio ou do fundo da touceira, evitando deixar o visual feio. Limpar de folhas a base para poder enterrar. Colocar em areia úmida. Quando notar que começa a se desenvolver, plantar com substrato semelhante ao que recomendo para vasos ou no canteiro.

Paisagismo:

Cultivada em vasos, sozinha ou em conjunto com outras plantas, em grandes canteiros, junto a muros, é sempre uma boa opção para os jardins, pois não necessita de manutenção. Algumas dracenas também podem ser cultivadas em interiores, principalmente as de folhas verdes.

Dracena Vermelha

Planta grande + vaso de plástico + decoração.

R$14,00


#labiata #plantas #casa #jardim #presentes #dracenavermelha

%d blogueiros gostam disto: